Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações
Cb image default
William Gomes

Mais uma ação educativa pautou as atividades da Comissão Executiva para Ações Estratégicas do Programa de Erradicação ao Trabalho Infantil (AEPETI) em Nova Andradina, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania.

As abordagens e orientações foram realizadas nesta sexta-feira, dia 26 de abril nas sorveterias locais com a participação do CREAS, CRAS, CIAT, Centro da Juventude, Bolsa Família e setor de patrimônio público.

O objetivo principal é orientar os proprietários dos estabelecimentos sobre as formas de trabalho infantil, as consequências e danos causados no desenvolvimento físico, psicológico e social.

De acordo com a secretária Julliana Ortega, no período de verão não é raro presenciar crianças e adolescentes em vendas de picolés, balas, doces em vias publicas. “Esta prática oferece risco de acidentes automobilísticos, assaltos, desenvolvimento de câncer de pele em decorrência da radiação solar e outros tipos de risco. A atividade incluiu panfletagens, esclarecimentos e fiscalizações”, explica.

Cb image default
William Gomes

O AEPETI busca o acompanhamento e a verificação de toda e qualquer forma de denúncia relacionada à exploração do trabalho infantil. As denúncias podem ser formalizadas pelo Disque 100, Conselho Tutelar, Creas ou no Centro de Referência de Assistências Social (CRAS).

Cb image default
William Gomes

Problemas graves ocorrem quando a criança trabalha, dentro outros podemos citar:

Perda auditiva mais rápida e intensa devido a maior sensibilidade ao barulho; maior absorção de substâncias tóxicas porque a respiração infanto-juvenil é reduzida; o corpo da criança desidrata mais rápido, pois produz mais calor, e sua pele é menos desenvolvida e se exposta aso produtos químicos, biológicos, e aos acidentes físicos e mecânicos pode sofrer maiores prejuízos.

As consequências do trabalho precoce na saúde da criança e do adolescente são também responsáveis pelo baixo rendimento escolar, tiram a oportunidade de estudar, brincar e aprender. Sua vida profissional futura é prejudicada além de impedir de gozar de boa saúde na fase adulta e na velhice, e ainda, ter uma vida marcada pela falta de condições de sobrevivência digna.