Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Lives e vídeos repercutem o tema, divulgam os serviços e os mecanismos legais de proteção à mulher em situação de violência e as formas de denúncia.

Cb image default
Divulgação

Divulgar os serviços e os mecanismos legais de proteção à mulher em situação de violência e as formas de denúncia. Esse é o foco principal da Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, promovida pelo Governo de Nova Andradina. Nesta edição, as iniciativas são realizadas exclusivamente de forma virtual em virtude da pandemia.

Cb image default
Divulgação

Na abertura dos trabalhos, uma live repercutiu o tema da campanha: ‘Combater o feminicídio tem a ver com todos nós, não se cale’. Participaram do debate a delegada titular da DAM, Daniella de Oliveira Nunes Leite, e Gidelma Quintana, coordenadora do CRAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram). As autoridades refletiram sobre os números da violência contra a mulher, contextualizando as informações na perspectiva de gênero.

Outra ação foi a criação de um vídeo institucional, no qual as vítimas são incentivadas a denunciar nas farmácias as agressões sofridas, bastando apenas basta mostrar um X vermelho na palma da mão para que o atendente ou o farmacêutico entenda tratar-se de uma denúncia e, em seguida, acione a polícia militar ou outros órgãos de apoio para tomar providências.

A peça publicitária, que está circulando na página oficial do facebook da Prefeitura Municipal e redes sociais como Instagram e youtube, traz mulheres que atuam diretamente em instituições que integram a rede de enfrentamento a violência contra a mulher, representantes do poder legislativo e executivo municipais.

Participam do vídeo as servidoras municipais Fabiana Santos e Natalia Leite (gerentes de proteção social especial e básica), Arlethe Matos e Gisele Sena (pedagogas de ações sociais), Gidelma Quintana (coordenadora do CRAM), Cleonice Farias (presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher) e a delegada titular da DAM, Daniella de Oliveira Nunes Leite, as vereadoras Gabriela Delgado, Cida Valdez e Marcia Lobo e a primeira dama do município, Joana Darc Bono Garcia.

De acordo com a secretária de políticas públicas para a mulher, Julliana Ortega, a semana é apenas um marco simbólico para chamar a atenção da sociedade para o problema, mas as ações são continuadas e permanentes. “Nesse período de pandemia, em que as mulheres estão mais vulneráveis, é ainda mais importante fortalecer a rede especializada de atendimento à mulher em situação de violência e ampliar o acesso à informação sobre os serviços de acolhimento e aos canais de denúncia”, declarou Julliana, agradecendo a todas as instituições empenhadas no combate à violência contra a mulher.

A edição 2021 da campanha “Não se Cale” Governo MS

- lançamento do novo Mapa do Feminicídio, que traz uma análise das 40 mortes ocorridas no Estado, no ano de 2020;

- o lançamento da cartilha "Feminicídio: quem ama, não mata", voltada a profissionais que queiram tornar-se multiplicadores das ações de enfrentamento à violência contra mulheres.

- Encontro Estadual de Gestoras Municipais de Políticas para Mulheres, roda de conversa "Homens pelo fim dos feminicídios" e live em parceria com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, debatendo o procedimento operacional padrão das instituições de segurança pública em Mato Grosso do Sul para casos de feminicídios.