Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações
Cb image default
João Cláudio 

Oficialmente, nesta terça-feira, dia 24 de março teve início a quarentena em Nova Andradina, que impõe uma série de restrições para a circulação de pessoas e o isolamente social por pelo menos 14 dias.

Mas como as pessoas respondem a essas restrições? Quais os efeitos psicológicos à mudança da rotina e restrição da mobilidade frente a quarentena?

Os fatores que mais estressam as pessoas isoladas são não saber quanto tempo durará a quarentena, medo de serem infectados, frustração, tédio, histeria, suprimentos ou informações inadequados, possíveis perdas financeiras e que, ao sair, fiquem com o estigma da doença.

Foi este o assunto abordado na primeira live de hoje na página oficial do facebook da Prefeitura, com a participação das psicólogas Rafaela Mattos e Thays Suci Moya, autoras do projeto "DOSE DE AFETO" e também Yoná Perlin, falando sobre as consequências do isolamento para a saúde mental da população e como vencer as incertezas da vida em meio a pandemia de coronavírus.

Yoná trouxe como sugestão a adoção de uma técnica de respiração para diminuir a ansiedade nos momentos de angústia e de isolamento. De forma simples, ela sugere fazer uma respiração mais controlada e consciente, alternando a inspiração e a expiração por 4 segundos, durante alguns minutos ou até perceber que os sintomas de ansiedade diminuíram.

Já as psicólogas Rafaela Mattos e Thays Suci Moya, apresentaram o projeto denominado Dose de Afeto, com o objetivo de oferecer, de forma gratuita, suporte emocional à população neste momento de enfrentamento à pandemia.

A iniciativa consiste em um grupo no Whatsapp e Telegran, por meio do qual as pessoas interessadas podem receber mensagens de otimismo, doses de reflexão e informações saudáveis.

Conforme Thays, é necessário aceitar os sentimentos sem julgamentos. “Sentir solidão neste período de isolamento é algo que pode acontecer. Nos sentir desconectados com o mundo também. É um momento diferente na vida de todos. O importante é viver um dia de cada vez, reorganizar a vida, superar as dificuldades que estamos passando”, avalia.

Rafaela Mattos sugere como alternativa para superar este momento trazer a memória momentos afetivos, fatos que deixam a vida mais leve. “Rever fotos, falar com os amigos e familiares pelo celular ou redes sociais, ver filmes, enfim, atividades que podemos fazer em casa. Deixe sua casa mais leve para lidar com esse momento. É fundamental ainda filtrar as informações, não absorver tudo que se vê, que se lê. Tomem cuidado com os fake News”, complementa.

Quem quiser participar do grupo entre em contato pelo WhatsApp 99920-8015.