Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Programação é um presente do governo municipal a todos os nova-andradinenses em comemoração ao aniversário de 61 anos de criação da Cidade Sorriso.

Cb image default
Divulgação

Nova Andradina comemora no próximo dia 20 de dezembro, 61 anos de criação. E para marcar a data, a Prefeitura traz duas grandes atrações culturais gratuitas no Centro de Eventos José Antonio Zanquetta, ao lado do Andradão: o showzaço com João Neto & Frederico e o Festival de Chamamé.

A dupla que é fenômeno nacional do sertanejo universitário, vai agitar Nova Andradina com o show Tour com João Neto e Frederico 2019 no palco no Centro de Eventos. A entrada é gratuita.

A apresentação acontece na noite desta quinta-feira, dia 19 de dezembro a partir das 20h, véspera do aniversário da Cidade Sorriso. O show faz parte das comemorações dos 61 anos de criação do município. É um presente do governo municipal para todos os nova-andradinenses.

Representantes da música sertaneja universitária há 12 anos, os irmãos são naturais de Goiânia tem 11 álbuns e estão com o trabalho novo chamado Não Tem Tu, Vai Tu Mesmo.

Entre as músicas aguardadas pelos fãs da dupla na Capital Nacional do Chimarrão estão Meio Seu, música com a participação de Léo Santana, Mulher Também Trai, Rapariga Não, Lelele, entre outras.

A organização é da Prefeitura Municipal de Nova Andradina através da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte. 

Cb image default
Cantora Camila Reis

Show de abertura e inauguração de obras

Para abrir essa grande noite de festa, a cantora Camila Reis com Alex Pires no violão traz um repertório sertanejo de muito bom gosto, com os rits mais tocados nas rádios de todo país, a partir das 20 horas.

As estruturas de palco e iluminação foram cedidas pela Fundação Estadual de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Nesta mesma ocasião, a prefeitura de Nova Andradina irá inaugurar mais de 20 obras realizadas e entregues no ano de 2019, nas áreas de infraestrutura, urbanização com drenagem e pavimentação de ruas de diversos bairros e no Distrito de Nova Casa verde, reforma de escolas, iluminação de led em todas as praças da cidade, novo prédio do Cras, aterro sanitário, recapeamento de ruas e avenidas da cidade, dentre outras ações que colocam Nova Andradina num novo patamar de desenvolvimento.

Cb image default
Divulgação

1º Festival de Chamamé

5 horas de música com dois grandes nomes do chamamé e show com a dupla sertaneja Victor Gregório & Marco Aurélio

As festividades continuam na sexta-feira, dia 20 de dezembro, data do aniversário de 61 anos de criação de Nova Andradina com a realização do Festival de Chamamé no Centro de Eventos José Antonio Zanquetta, a partir das 20 horas.

O festival tem como objetivo resgatar as raízes musicais do estado e firmar-se como um marco cultural no calendário de eventos da cidade.

Estão programadas três grandes atrações. Quem abre as apresentações musicais é a dupla sertaneja campo-grandense, Victor Gregório & Marco Aurélio. Este show é oferecido pela Fundação de Cultura do Estado de Mato Grosso do Sul.

Cb image default
Foto/divulgação: Luciane Chamamezeira

Com músicas autorais, atitude e um estilo diferenciado dos atuais artistas do ramo, os compositores possuem um estilo mais rústico e muito talento. A dupla já bateu mais de um milhão de visualizações no Youtube com a faixa “Eu Aceito”. e juntos reúnem mais de mil músicas compostas, entre elas vários sucessos como “Você de Volta”, “Labirinto”, “Camaro Amarelo”, “Amar Não é Pecado”, entre outras gravadas pelos mais diversos artistas e idiomas.

Em seguida, sobem ao palco a musa do chamamé, Luciane Chamamezeira e Maninho Rocha, que prometem fazer o público dançar e se divertir até 1 hora da manhã.

Para Gilberto Garcia, Nova Andradina possui uma grande diversidade de culturas que formam sua identidade e o chamamé está enraizado na cultura sul-mato-grossense e, em especial, nos moradores da terra de Moura Andrade.

Cb image default
Foto/divulgação: Maninho Rocha

“Trazer a cultura a pantaneira é a realização de um sonho. O sistema de representação cultural do chamamé, além da polca, do próprio chamamé e guarânia, expressões de destaque da nossa cultura musical, inclui a dança de salão, o hábito de tomar o tereré e a degustação de iguarias como a sopa paraguaia e a chipa. O festival é um reconhecimento a tudo isso”, destaca o prefeito.

Vale ressaltar, que em 2017, o chamamé foi oficialmente declarado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul “Patrimônio Cultural Imaterial do Estado”. No Mercosul o chamamé também já foi declarado “Patrimônio Cultural” e está sendo postulado junto à Unesco o reconhecimento como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.