Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Mudas são distribuídas gratuitamente à população e ajudam na recuperação de nascentes e áreas degradadas, além de deixar a cidade mais verde e mais bonita

Cb image default
João Cláudio 

Campanha realizada nos dias 5 e 6 de junho arrecadou quase cinco toneladas de lixo eletrônico em Nova Andradina. O objetivo do projeto é incentivar o descarte correto de materiais, evitando que eles sejam dispensados na natureza, contaminando água, solo ou ainda gerando riscos em áreas públicas.

No ponto de coleta, instalado em frente ao Ginásio de Esportes, foram recebidos telefones celulares, televisores, computadores, placa mãe, e conectores, copiadoras, pendrives, controle remoto, fogão, geladeira, máquinas fotográficas e diversos outros materiais sem uso.

Cb image default
William Gomes

As equipes de profissionais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Integrado e do Instituto Federal trabalharam juntos no recolhimento dos materiais.

Mais uma vez, a ação foi considerada um sucesso. “Sabemos que muitas pessoas possuem em casa aparelhos e equipamentos já sem uso, mas que não sabem como ou onde destinar adequadamente. Assim, nossa intenção é coletar, reciclar, reutilizar e dar a destinação correta ao lixo eletroeletrônico, contribuindo para um desenvolvimento sustentável”, comentou o secretário Hernandes Ortiz.

Cb image default
William Gomes

O processo de triagem dos equipamentos foi realizado por estudantes do IFMS, que reutilizarão peças dos aparelhos em projetos de robótica, dentre outras atividades de ensino e aprendizagem dos cursos da área de tecnologia e informação do Campus local.

O restante dos produtos e peças foram encaminhados para empresa Recicle Lixo Eletrônico em Campo Grande, que possui uma central de recebimentos desse descarte e com licença ambiental para a atividades.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é o sétimo maior produtor de lixo eletrônico do mundo e o segundo nas Américas, produzindo cerca de 1,5 milhão de toneladas de e-lixo anualmente. No entanto, o descarte correto é feito apenas para 3% deste material.