Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações
Selo

Escola municipal rural de Nova Andradina conquistou o 1° e 2° lugares na Categoria Engenharias, além de prêmios especiais

Cb image default
João Cláudio 

Pelo terceiro ano consecutivo, a Escola Municipal Professor Delmiro Salvione Bonin foi premiada no maior evento científico do estado de Mato Grosso do Sul, a FETEC (Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências). Os projetos vencedores buscam solucionar problemas ambientais presentes na própria comunidade rural do Angico, onde está localizada a unidade escolar.

Reconhecendo a importância desta premiação, o prefeito Gilberto Garcia e o secretário da educação, Fábio Zanata, receberam nesta manhã de sexta-feira (23), a diretora Renata Costa, as professoras Lorena Donini e Sheila Toscano Nardez e os alunos participantes dos projetos inscritos na FETEC (Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências).

Com muito entusiasmo, eles explicaram sobre os projetos e contaram como foi a experiência de participar da cerimônia de premiação, realizada em Campo Grande, juntamente com a 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), ocorrida no final do mês de julho. 

Cb image default
João Cláudio

Progresso da Ciência (SBPC), ocorrida no final do mês de julho.

“Foi uma experiência muito legal, apresentar e ganhar o 1º lugar entre tantos projetos que estavam concorrendo. É a realização de um sonho”, declarou Diovanna Salomão de Paula, que juntamente com Maria Eduarda de Jesus Magno foi campeã na categoria Engenharias com “Círculo das bananeiras: uma alternativa socioambiental para o tratamento das águas cinzas”. Sob a orientação das professoras Lorena Donini e Sheila Toscano Nardez, o projeto recebeu como prêmio uma viagem ao Rio de Janeiro, oferecida pela Universidade Federal Fluminense para conhecer o Projeto Genesis.

Nesta mesma categoria “Engenharias”, a escola também conquistou o 2º lugar com o projeto “Armazenamento e aproveitamento de águas pluviais no ambiente escolar: uma perspectiva socioambiental”, das alunas Maria Luiza Medeiros e Maria Eduarda Salomão Pereira, também sob a orientação da professora Lorena.

Os alunos Naila Dan dos Santos e Kaiky Yuji dos Santos Almeida (que já se destacou em outras edições deste evento), receberam ainda prêmios especiais como a Expedição Científica ao Pantanal e o Cemaden, oferecido pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais com o projeto “Recuperação e Preservação das Nascentes –uma alternativa de melhoria socioambiental para pequenos produtores rurais”.

O jovem Kaiky disse que gosta de “inventar” e trazer soluções para melhorar a sua vida no campo. “A gente tem que cuidar do que é nosso, do nosso futuro. Moro com minha família no Angico e a preservação dessa nascente é fundamental para nossa vida”, revela o garoto. 

Cb image default
João Cláudio

Orgulhosa dos seus pupilos, a diretora Renata Costa, disse que jamais imaginava que a escola poderia conquistar um prêmio disputado por escolas de todo país. “Pra mim, estes prêmios eram uma realidade distante. Só de participar, já era uma vitória. Mas, nós conseguimos com esforço e dedicação. O próximo passo é participar da feira nacional. Com tantos talentos que temos, vamos chegar lá”, indica a diretora.

Cb image default
João Cláudio

Ao parabenizar a todos pelo grande feito, o prefeito Gilberto Garcia ressaltou que não existe missão impossível, basta acreditar em si mesmo. Para o chefe do executivo municipal, eles conhecem a realidade em que vivem e, com ajuda dos professores e de toda estrutura oferecida na escola, é possível criar alternativas para melhorar o meio ambiente e a vida das pessoas.

“Continuem assim. Vocês irão nos representar nos próximos anos. Com estudo, empenho e dedicação vocês poder ir longe, conquistar o que quiserem. Este intercâmbio cultural vivenciado por vocês muda a visão de mundo, transformando-os em cidadãos críticos, com novos olhares para os problemas do meio onde vivem. A iniciativa desses alunos demonstra também que, muitas vezes, não é necessário ter laboratórios ou equipamentos sofisticados para desenvolver projetos de pesquisa importantes”, ressaltou.

Cb image default
João Cláudio