Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Plano de Biossegurança prevê medidas de higienização das escolas, utilização de EPIs e álcool em gel, horários de entrada e saída dos alunos, merenda e transporte escolar

Cb image default
Divulgação

Em live exibida no facebook da Prefeitura nesta manhã (29), a Secretária Municipal de Educação, Cultura e Esporte (SEMEC), Giuliana Masculi Porkrywiecki confirmou o retorno das aulas na Rede Municipal de Ensino (REME) para o dia 1° de março. O retorno às aulas se dará de forma hídrida – aulas remotas e presenciais - para evitar aglomerações.

O mês de fevereiro será voltado para o preparo das unidades, orientações aos pais, alunos e trabalhadores da educação e a formações dos profissionais. A gestora da educação afirmou que todos receberão as orientações a respeito do Plano de Biossegurança, que foi analisado e aprovado pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao novo coronavírus.

O plano prevê quais os procedimentos a serem adotados com relação a higienização das escolas, utilização de EPIs (equipamentos de proteção individuais) e álcool em gel, horários de entrada e saída dos alunos, merenda, transporte escolar e a condução dos alunos dentro das unidades escolares.

Já os profissionais de educação receberão formação pedagógica sobre o sistema de ensino híbrido, ou seja, que traz tanto aulas presenciais quanto remotas. 

Cb image default
Divulgação

“As turmas serão divididas e haverá um revezamento de alunos, ou seja, uma semana parte dos alunos terão aula presencial enquanto a outra fica em casa com aula remota. Depois, na outra semana, a situação se inverte. Então, os professores terão que se adaptar a essa rotina”, explica.

Em março, a volta às aulas estará condicionada ao índice de contágio e número de casos de Covid-19 no município. “Vamos aguardar um posicionamento dos setores relacionados à área da saúde, pois são eles que vão dizer sobre os graus de risco e se o momento é oportuno para um retorno presencial. A prioridade é a saúde de todos”.

E complementa: Os pais receberão orientações sobre como será todo o processo de retorno das atividades presenciais, de acordo com os protocolos de biossegurança, e terão a opção de levar ou não o filho para a escola neste momento. “Neste caso, o aluno terá apenas aulas remotas”.

A SEMEC confirmou ainda que está investindo na compra de equipamentos de proteção individual para profissionais e estudantes, além de itens para higienização. “Todas as escolas terão álcool em gel para higienização. No caso das máscaras vamos fornecer para o aluno que não tenha, ou que tenha esquecido de levar, ou ainda caso estrague, por exemplo. Vamos pedir para que levem sua garrafa de água e a máscara, se tiverem”, informou Giuliana.

O protocolo de biossegurança conta ainda com medidas de biossegurança para o transporte escolar, quantidade de alunos de acordo com a metragem das salas de aula, reorganização de horários e suspensão dos intervalos e recreio.

Com relação às creches, que recebem crianças de 0 a 3 anos, ainda não há previsão para o retorno das atividades. “Ainda não temos um protocolo para receber as crianças no ambiente escolar. Elas chegam nos Ceinfs e vão para o colo da professora, e esse contato pode disseminar o vírus, tanto ela pode trazer como ela pode se contaminar. As crianças vão para a creche e começam as viroses, as gripes, ficam doentinhas. Então, em tempos de pandemia, levar uma criança para um hospital é complicado. Não temos como assumir essa responsabilidade”, analisa a titular da educação.

Também não existe uma definição sobre o trabalho dos servidores do grupo de risco. “A SEMEC está terminando os levantamentos necessários para tomar as providências cabíveis”.

Matrículas e rematrículas

Mesmo neste momento de incertezas é fundamental os pais efetuarem a matrícula dos seus filhos. Alunos que não terminaram no ensino fundamental ou ensino médio na idade adequada poderão matricular-se na EJA – Educação de Jovens e Adultos.