Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Inscrições estão abertas para o encontro on-line promovido pelo Sebrae/MS, por meio do programa Cidade Empreendedora

Cb image default
Divulgação

Nesta terça-feira (25), vai ser realizada para os professores que atuam na Rede Municipal de Ensino de Nova Andradina uma palestra voltada para expor como funciona o projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), promovido pelo Sebrae/MS em parceria com a Prefeitura Municipal, por meio do programa Cidade Empreendedora. O encontro é on-line e são disponibilizadas duas turmas: uma no período da manhã, às 7h30 (link para a inscrição pode ser acessado aqui), e a outra à tarde, às 13h30 (basta clicar aqui para acessar a página de inscrição).

O JEPP é uma metodologia que visa despertar nas crianças e adolescentes a criatividade e o interesse pelo empreendedorismo. Para que a temática seja trabalhada com os alunos em sala de aula, ou de forma virtual, o Sebrae promove a capacitação dos professores. Neste ciclo, são 96 docentes envolvidos, o projeto vai ser aplicado em 7 escolas municipais de Nova Andradina e deve atender 2.544 estudantes que cursam do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

De acordo com a gestora estadual do Programa Educação Empreendedora do Sebrae/MS, Priscila Veloso, a palestra vai ser o primeiro contato do corpo docente e dos coordenadores das Escolas Municipais com o projeto e vem para esclarecer o passo a passo do trabalho. “Para o programa acontecer o professor é uma parte essencial do processo. Ele tem que ter o brilho nos olhos, então, a ideia do encontro é explicar como funciona o projeto, as estratégias voltadas para cada turma e, principalmente, motivá-los a abraçar a iniciativa”, pontuou a gestora.

Após a palestra, os consultores do Sebrae vão até as escolas para identificar as particularidades de cada uma e elaborar um plano de trabalho, somente depois desse processo é iniciada a capacitação docente. As escolas municipais participantes do projeto em Nova Andradina são: Pingo de Gente, Mundo da Criança, Professor Delmiro Salvione Bonin, João de Lima Paes, Machado de Assis, Luis Claudio Josué e Brincando de Aprender.

Capacitação on-line

Neste ano, a formação vai ser feita de forma remota, por meio de um portal de Educação a Distância criado pelo Sebrae Nacional, e cada professor possui 30 dias para concluí-la. Os docentes vão ter acesso a nove cursos independentes que expõem formas de trabalhar o tema empreendedorismo com os estudantes de acordo com a faixa etária e do ano que estão cursando. No entanto, cada professor pode optar se deseja fazer o treinamento com as metodologias voltadas para os estudantes dos anos iniciais, do 1º ao 5º, ou para os anos finais, do 6º ao 9º.

Com cada turma, o empreendedorismo é abordado de uma forma diferente. No caso do 1º ano, por exemplo, o tema proposto para a ideia de negócios é o “Mundo das ervas aromáticas”, quando os alunos são estimulados a cultivar hábitos mais saudáveis e, além disso, propõem-se o desenvolvimento de produtos a partir dessa matéria prima, como sachês perfumados.

As metodologias possuem de 20 a 30 horas/aula e a orientação é que os temas sejam trabalhados com os alunos em 2 horas/aula por semana, com isso, a ação é concluída dentro de 4 meses. Como cada um dos cursos envolve a criação de produtos, a proposta é que no final do projeto seja feita uma feira com a participação de todos os estudantes e com o envolvimento da comunidade.

Segundo Priscila, é importante ressaltar que, mesmo em um contexto em que o distanciamento social é necessário, a metodologia ainda sim pode ser executada. “Ela pode ser adaptada às aulas remotas e, no caso da feira, há estratégias eficazes. No ano passado, por exemplo, houve uma escola que fez uma ação drive thru – antes eles divulgaram um cardápio com os produtos que iriam ser vendidos, as pessoas encomendaram e na data do evento passaram para retirar. A experiência foi bastante positiva”, ressaltou a gestora.

Mais do que despertar nos estudantes o interesse pelo empreendedorismo, o projeto JEPP também trabalha outros temas associados, como o estímulo e cultivo de hábitos saudáveis, produção de alimentos e práticas sustentáveis. Outro ponto importante, de acordo com Priscila é que por meio do aprendizado das crianças e adolescentes, é possível sensibilizar as famílias. “O projeto consegue mobilizar a sociedade como um todo e, através dele, podemos fazer com que o município desenvolva uma cultura empreendedora o que vai ajudar no fortalecimento dos pequenos negócios e no crescimento da cidade”, enfatizou a gestora.

Mais informações sobre o Cidade Empreendedora podem ser obtidas por meio do telefone 0800 570 0800 ou pelo Whatsapp (67) 3389-5300.