Gilberto Garcia também solicitou à Engepar que a aquisição de materiais para a construção dos 128 apartamentos contemplem o comércio local.

Cb image default
João Cláudio

Nesta quarta-feira (7), representantes da empresa Engepar Engenharia e Participações Ltda juntamente com a presidente da Agehnova, Márcia Lobo e o secretário municipal de Infraestrutura, Júlio Cesar Castro Marques, realizaram reuniões e visitas técnicas para acertar o início da construção de 8 prédios habitacionais, com 128 apartamentos em Nova Andradina, uma realização do programa Minha Casa Minha Vida.

A Engepar, empresa vencedora do Chamamento Público do Governo Municipal, terá a missão de construir o primeiro programa público de habitação vertical na região do Vale do Ivinhema. As edificações serão levantadas no antigo quarteirão do Projeto Bom Menino, área que foi disponibilizada pela Prefeitura de Nova Andradina.

Cb image default
João Cláudio

Na oportunidade, os engenheiros da Engepar, João Henrique Schaustz e Silvano Armando Mendes, da cidade de Dourados, anunciaram os engenheiros civis Edson Batista Junior e Henrique Do Val como coordenadores da obra no município. João Henrique comunicou aos gestores públicos locais que a empreiteira está buscando uma área para locação próxima ao quarteirão do antigo “Bom Menino”, para abrigar a área administrativa da empresa, com vestiário, sanitários para funcionários, almoxarifado para materiais e equipamentos, além do escritório.

Previsto para ser concluído em 2020, o empreendimento, que vai gerar dezenas de empregos, motivou o prefeito Gilberto Garcia a sugerir à empreiteira o critério de contratar profissionais residentes no município de Nova Andradina, desde à mão-de-obra aos responsáveis técnicos da construção. O prefeito de Nova Andradina também solicitou que os materiais de construção sejam adquiridos no comércio e indústria locais.

Nos próximos dias, a Engepar buscará o apoio do Casa do Trabalhador na seleção e contratação de mão-de-obra. Já na próxima semana, iniciam as análises do solo e serviços de terraplanagem. O secretário Júlio Cesar Castro Marques colocou sua gestão e a capacidade técnica de sua equipe à disposição da empreiteira, quanto às demandas burocráticas pertinentes à obra. “Sabemos que um empreendimento grandioso como este, carecem de documentações junto à Caixa Econômica, orientações técnicas e agilização em processos cadastrais. Nesta parceria, vamos possibilitar que a programação da obra não sofra nenhum entrave e, em consequência disso, gerem atrasos que prejudiquem sua conclusão”, disse o secretário.

Marcia Lobo informou que as inscrições serão abertas tanto para novos interessados, tanto para atualizar cadastros já existentes. A diretora presidente da Agehnova também explicou que os 128 apartamentos serão destinados à faixa de renda familiar de 0 (zero) até R$ 1.800,00 mensais.

“As inscrições acolherão novos cadastros e também servirão para que as famílias compatíveis à faixa 1 possam atualizar suas inscrições já realizadas noutros projetos. A data de abertura das inscrições não foi definida ainda, mas vamos fazer uma grande divulgação quando for iniciar”, comunicou Marcia.