Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Encerramento da campanha “16 dias de Ativismo” pelo fim da violência contra a mulher acontecerá no domingo (20), juntamente com as atividades da feira

Cb image default
Divulgação

A tradicional edição de Natal da Feira Mulheres de Atitude, que acontece na Praça Geraldo Mattos Lima, começa nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro, a partir das 18 horas.

Com produtos natalinos variados, artesanato de primeira e uma forte praça de alimentação, a última edição da feira traz novidades em presentes, artigos de decoração e enfeites, além de bons preços e excelente atendimento para quem quer fazer uma refeição saborosa, num ambiente familiar.

A expectativa é de bom público, já que o comércio local estará aberto com horário diferenciado, no período noturno e a Praça está cheia de luzes e cores para receber as famílias nova andradinenses e visitantes.

As atividades da feira seguem até o domingo, dia 20 de dezembro, quando também acontece o encerramento da Campanha “16 dias de Ativismo” pelo Fim da Violência contra a Mulher, no mesmo local.

A realização é da Prefeitura Municipal de Nova Andradina, por meio das Secretarias de Políticas Públicas para a Mulher / Cidadania e Assistência Social (Semcias).

Balanço da Campanha “16 dias de Ativismo”

A Campanha “16 dias de Ativismo” ocorre anualmente e busca envolver os mais diversos segmentos da sociedade civil e do poder público. No município, a ação envolve diretamente a Secretaria Executiva de Políticas para a Mulher em parceria com Rotary Clube Nova Andradina Centenário, idealizador do concurso e responsável pela premiação da Melhor Frase com o tema “A Vida Tem Sempre Um Recomeço se Quebrar o Silêncio”.

No âmbito do governo municipal, atuam na campanha as secretarias municipais de educação e Cogecom, órgãos que integram a rede de atendimento à mulher como CAM (Centro de Atendimento à Mulher), DAM (Delegacia de Atendimento à Mulhe), Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, e poder Judiciário (MPE e Defensoria Pública), Coordenadoria Regional de Educação, OAB (7ª subseção Ordem dos Advogados do Brasil), Conselho dos Direitos da Mulher e Câmara Municipal.

Durante quase dois meses foram realizadas palestras e diversas atividades em espaços públicos a fim de democratizar e popularizar a campanha para construção de uma sociedade reflexiva, sem preconceitos e sem violência de gênero.

A secretária Julliana Ortega fez um balanço positivo da campanha e agradeceu o trabalho de todos os envolvidos na extensão programação. “Combater a violência contra as mulheres é um dever cívico irreversível de todo brasileiro. Precisamos mudar a história dos maus tratos e abusos impostos às mulheres, para que elas gozem da plenitude dos Direitos Humanos”, destacou.