Grupo de portadores de doenças crônicas foi encerrado após três meses de atividades no local com resultados muito satisfatórios

Cb image default
Divulgação

Os exercícios se tornaram aliados de pessoas que sofrem de doenças crônicas como hipertensão, cardiopatia, diabetes, fibromialgia, entre outras. De acordo com médicos, em alguns casos a atividade física pode fazer com que o paciente diminua a quantidade de remédios ingeridos ou até mesmo deixe de tomá-los.

Por isso, o governo de Nova Andradina juntamente com o Ministério da Saúde promovem o programa Academia de Saúde, que funciona na Praça Francisco Frutuoso. Trata-se de um espaço público dotado de total infraestrutura, equipamentos e profissionais qualificados para a realização de atividades físicas e práticas corporais, contribuindo para a prevenção de doenças e para a diminuição dos fatores de risco.

Essas atividades complementam o cuidado integral e fortalecem as ações de promoção da saúde em articulação com outros programas e ações de saúde como a Estratégia da Saúde da Família, os Núcleos de Apoio à Saúde da Família e a Vigilância em Saúde.

Cb image default
Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (13), mais um grupo de portadores de doenças crônicas foi encerrado após três meses de atividades no local com resultados muito satisfatórios. No local, os pacientes podem fazer alongamento e fortalecimento global do corpo, através de técnicas utilizadas no tratamento e na prevenção à saúde.

Este trabalho multidisciplinar é feito por vários profissionais da saúde, entre eles, o professor de educação física, Pedro Trotta, e as fisioterapeutas, Valéria D`Alckmin e Alessandra Pfeifer, que atendem ainda outros pacientes com depressão, problemas na coluna, joelho, ombro e outras patologias. Integram a equipe de apoio os profissionais do CRENA, médicos, psicólogos e colaboradores da rede municipal de saúde, responsáveis pelo encaminhamento dos pacientes.

Cb image default
Divulgação

Segundo Valéria D`Alckmin, as aulas de fisioterapia acontecem duas vezes por semana, enquanto os exercícios podem ser feitos todos os dias na Academia. Após três meses, os pacientes já conseguem por si mesmos fazer as atividades propostas. “É um trabalho que melhora a autoestima, a saúde e o bem estar das pessoas. Elas começam a ver novos rumos, ter uma nova perspectiva de vida”, comenta.

Cb image default
Divulgação

O professor Pedro Trotta, explica que as pessoas interessadas em fazer exercícios físicos deve fazer um agendamento na Academia de Saúde para uma avaliação.

“Nós analisamos o prontuário de saúde, colhemos dados como peso, altura, remédios de uso continuo e os motivos que o fizeram procurar a Academia. Em seguida, oferecemos um programa de exercícios. No caso da fisioterapia, são atendidos apenas os pacientes encaminhados pelos médicos, com um trabalho específico com equipamentos e orientação especializada, de acordo com as condições físicas e emocionais”, destaca.

A aposentada Sidalva Hermenegildo, de 66, anos, confirma que as atividades físicas e de reabilitação contribuíram para uma mudança significativa no seu estado de saúde. Ela conta que sofreu uma queda e ficou travada, com problemas no quadril, joelho e nos braços.

“Já participei de 3 turmas desde que descobri este trabalho maravilhoso que tem aqui em Nova Andradina. Quando cheguei eu não conseguia andar, fiquei dois anos sem ir ao centro da cidade. Agora, minha vida é outra. Tenho dor, mas consigo andar, fazer caminhada e outras atividades que não conseguia. Pra mim, foi uma benção”, frisou a paciente.