Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Na Semana Mundial de Amamentação 2019, comemorada na primeira semana de agosto, Secretaria de Saúde desenvolve campanha em Nova Andradina.

Cb image default
Divulgação

Durante todo o mês de agosto, Nova Andradina realiza a campanha anual de incentivo à amamentação em todas as unidades Estratégias Saúde da Família e na maternidade do Hospital Regional (HR) de Nova Andradina.

Neste ano, o destaque é para a importância do amparo de toda a rede de apoio (família, amigos, profissionais de saúde, empresários) aos pais, em especial às mulheres que estão amamentando.

No HR, a campanha está centralizada nesta primeira semana do mês, de 1 a 7 de agosto, numa parceria com o governo municipal. As ações envolvem o apoio e incentivo à amamentação para as mulheres no pós-parto, sendo desenvolvidas por três profissionais da secretaria de saúde: a fonoaudióloga Thais Lobo, a enfermeira coordenadora da Rede Cegonha, Rosenilda da Silva Alves e a dentista, coordenadora de saúde bucal, Melissa Araujo.

Já nas ESFs, as profissionais intensificarão a assistência e o acompanhamento às puérperas em suas residências e na própria unidade de saúde.

Nesta quinta-feira, dia 2 de agosto, o trabalho é dedicado a rede de saúde com a realização de capacitação sobre aleitamento materno dirigida os ACS, Técnicos de Enfermagem das ESFs, médicos, enfermeiros, dentistas e auxiliares, técnicos em saúde bucal.

No dia 22 de agosto, a Prefeitura presenteia as nutrizes com um ensaio fotográfico num dos cartões postais mais bonitos do município: a Praça Brasil. 

Cb image default
Divulgação

Sobre o aleitamento materno

O aleitamento materno é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.

O Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e de forma exclusiva até o 6º mês de vida. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Unicef, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até o 6º mês de vida.