Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

A média móvel chegou a 23 contaminados por dia (tomando por base os últimos 27 dias), estabelecendo recorde da pandemia

Cb image default
Divulgação

Nova Andradina registrou 629 novos casos de Covid-19 no período de 01 a 27 de maio. A cidade atingiu desde o início da pandemia 2.836 infectados com o coronavírus. A média móvel chegou a 23 contaminados por dia (tomando por base os últimos 27 dias), estabelecendo o recorde da pandemia.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais 15 mortes no mês de maio, o mais brutal até agora. A média móvel de óbitos é quase de 1 a cada 2 dias. O total de vidas perdidas no município chegou a 65.

No momento, são 229 casos ativos da doença, sendo que 24,8% é de pessoas entre 31 a 40 anos, 22,2% do total tem entre 21 e 30 anos de idade e 19,6% pessoas de 41 a 50 anos.

Até os 10 anos de idade, são 11 casos confirmados. De 11 a 20 anos, 17 registros de Covid-19. Juntos representam 12,2%. Em contrapartida, a população que pertence ao grupo de idosos (60 anos ou mais) representa apenas 9,6% dos contaminados.

A faixa etária entre 21 e 50 anos concentra hoje mais de 65% do total de casos ativos no momento. A doença também chegou às crianças e adolescentes, que juntas somam 12,2%”, relata o titular da saúde.

No ano passado, Nova Andradina registrou 22 óbitos, sendo que 12 de pessoas com mais de 60 anos, ou seja, mais da metade. Apenas 2 mortes na faixa etária dos 40 aos 50 anos.

Se em 2020, a doença acometia mais os idosos, este ano é a população mais jovem e adulta que está mais suscestível ao contágio, além de aumentar a taxa de letalidade neste público. Neste mês de maio, um jovem de 26 anos perdeu a vida e uma mulher de 34 anos foi a óbito em virtude de complicações da Covid-19. Além disso, surgiram casos entre bebês, crianças e adolescentes, que até então não eram constatados.

Na análise do secretário Sérgio Maximiano, os números explicitam uma mudança de perfil entre as pessoas contaminados pelo novo coronavírus. “Isso se deve a alguns fatores como vacinação dos grupos prioritários (idosos e comorbidades), a circulação de variantes cuja transmissibilidade e letalidade se mostram maiores e a maior exposição de jovens e adultos ao vírus em decorrência da baixa adesão ao isolamento social, do desrespeito as orientações sanitárias e da maior exposição em aglomerações”.

Medidas de contenção do vírus

saída para conter a propagação do vírus entre os mais jovens está no reforço das medidas municipais.

“Devemos reforçar as medidas e fechar ainda mais as atividades não essenciais para conter a propagação do vírus. Enquanto não tivermos cobertura de vacinação mais ampla, não há outro caminho”, concluí Sérgio, anunciando que nesta sexta-feira (28) deve ser publicado novo decreto com medidas de enfrentamento a Covid-19.

Cb image default
Divulgação
Cb image default
Divulgação
Cb image default
Divulgação