Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Ações como os mutirões de limpeza e o Ecoponto Itinerante contribuíram para reduzir em até 65% o número de casos da doença em relação ao ano passado

Nova Andradina é um dos municípios com menor número de casos de dengue em todo Mato Grosso do Sul. Conforme dados oficiais do SINAN, o total é de 223 notificações suspeitas de dengue, 7 confirmações e 1 óbito, confirmado no dia 15 de janeiro. Não há casos suspeitos de Zika ou Chikungunya.

Até o momento, o estado registrou 19.015 casos da doença, sendo 6.191 em Campo Grande e outros 2.134 em Três Lagoas. O número de óbitos chega a 22 até o dia 11 de abril, ou seja, uma média de 4 mortes por dia. Todos os 79 municípios apresentam alta incidência de dengue por habitante.

Cb image default

Na região do Vale do Ivinhema, a cidade de Bataguassu lidera em número de casos confirmados, com 82 casos, sendo seguida por Ivinhema com 81, Novo Horizonte do Sul tem 62, Anaurilândia contabiliza 40 casos, Batayporã segue atrás com 36 confirmações da dengue e Angélica soma um total de 30 casos.

O número de casos na cidade vizinha de Anaurilândia (40 casos), por exemplo, é quase 6 vezes maior e o número de notificações representa mais do que o dobro contabilizado em Nova Andradina.

Na análise do setor municipal de Vigilância Epidemiológica, as ações de mobilização como o mutirão de limpeza e o Ecoponto Itinerante contribuíram de forma decisiva para a redução de até 65% o número de casos de dengue em relação ao ano passado.

Os mutirões de limpeza realizados através da Secretaria Municipal de Saúde começaram ainda no final do ano passado, percorrendo praticamente todos os bairros. Em fevereiro, este trabalho foi reforçado pelo Ecoponto Itinerante, que envolveu servidores voluntários de todas as demais secretarias de governo num trabalho mais amplo de coleta do lixo reciclável e lixo orgânico, associado as ações educativas e de fiscalização.

Gilberto Garcia afirmou que Nova Andradina com apoio da população vem fazendo a lição de casa, mas não pode abaixar a guarda.

“A cada 15 dias, mais de 70 voluntários foram as ruas para recolher, casa a casa, os materiais inservíveis e reciclados. O resultado disso foi uma queda acentuada nos casos de dengue em relação ao ano anterior, comprovando que agindo de maneira preventiva junto com os moradores é possível vencer a batalha contra o aedes aegypti”, avalia o prefeito.

Vale ressaltar que as atividades de Bloqueio Químico realizadas pelo Centro de Controle de Zoonoses estavam comprometidas pela falta de inseticidas do fornecedor no Brasil inteiro. Mas em parceria com o SES foi disponibilizado insumos suficientes para as atividades de bloqueio químico nos casos informados. “Foram 218 quarteirões tratados, com 249,5 Litros de Inseticidas utilizados no período”, segundo dados do CCZ.

No ranking de casos confirmados, a cidade com menor número de casos de dengue é Camapuã (3), seguida por Dois Irmãos do Buriti (4), Selvíria, Corquinho e Santa Rita do Pardo (5 casos cada) e Nova Andradina (7).

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

• Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;

• Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

• Manter caixas d’agua bem fechadas;

• Remover galhos e folhas de calhas;

• Não deixar água acumulada sobre a laje;

• Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

• Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

• Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

• Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

• Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

• Acondicionar pneus em locais cobertos;

• Fazer sempre manutenção de piscinas; • Tampar ralos;

• Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

• Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

• Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

• Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

• Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

• Catar sacos plásticos e lixo do quintal.