Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

A iniciativa da Prefeitura tem o objetivo de desafogar as filas de espera por consultas, exames e cirurgias oculares

Cb image default
Divulgação
Cb image default
William Gomes

A artista plástica, Maura Rosa, encontra dificuldades para fazer atividades corriqueiras, serviços domésticos e, principalmente para fazer o que mais gosta: pintar quadros. Ela foi diagnosticada com catarata e aguarda na fila de espera por atendimento há cerca de 2 anos. Nesta sexta-feira (1), foi atendida por um oftalmologista no Hospital Regional e já saiu de lá com a cirurgia marcada para o próximo mês, em março. “Minha visão já estava começando a falhar em alguns momentos. E eu sempre falo: em primeiro lugar Deus, depois a saúde. O médico disse que logo vou enxergar bem melhor. Isso é muito bom”.

Cb image default
William Gomes

Marta Rocha, de 66 anos, há 3 anos teve hemorragia no olho esquerdo e desde então, enfrenta alguns problemas para enxergar. Ela também passou por consulta e saiu animada: “O médico receitou um colírio e solicitou um retorno para daqui 2 meses. Eu gostei do atendimento porque ele fez o exame, explicou direitinho os procedimentos que ia fazer. Pra mim, o atendimento aqui facilitou muito, já tive que ir duas vezes até Campo Grande, é difícil. Vou fazer o tratamento certinho, para não perder o pouco da vista que tenho”.

Donizete Domingos da Silva (62) tem problemas na retina do olho direito em consequência de diabetes. Mesmo fazendo uso de óculos há 6 meses, que lhe proporciona um certo conforto visual, o técnico em eletrônica quer resolver de vez o incômodo e trabalhar com tranquilidade.

“Na minha profissão, a visão é fundamental. Aguardava na fila tem um ano e quatro meses. O médico atendeu, explicou o problema e vou ter que passar por cirurgia”. 

Cb image default
João Cláudio 

É para melhorar a vida das pessoas como o Sr. Donizete, da Dona Maura e da Marta que a Prefeitura de Nova Andradina lançou o Programa “Novo Olhar”, com o objetivo de desafogar as filas de espera por consultas, exames e cirurgias na área de oftalmologia.

O investimento do município é de meio milhão de reais. A meta é oferecer às pessoas a oportunidade de lançar um “Novo Olhar” sobre as coisas, sobre a vida. A iniciativa do governo municipal tem a parceria do poder legislativo e do Hospital Regional.

O projeto está sendo executado por seis médicos especialistas que vieram de Bauru, para realizar cerca de 3800 procedimentos. Entre esses profissionais estão a nova andradinense, Dra. Mayumi Shirota, filha do pioneiro Shoji Shirota, além dos médicos José Eduardo (responsável pela equipe), Nilton Carlos Leal Boiça e Bruno Dias Rossi. Outros oftalmologistas ainda devem chegar para integrar o time de profissionais, conforme a necessidade e demanda existente.

Cb image default
João Cláudio 

O HR disponibilizou duas salas para as consultas médicas. A equipe contratada disponibilizou os equipamentos e materiais necessários aos atendimentos.

O trabalho começou esta semana. Por dia, cerca de 40 pacientes são encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde para passar por consulta. A expectativa é atender toda a demanda reprimida por essa especialidade médica no período de um ano.

O diretor geral da unidade hospitalar, Nelson Custódio, afirmou que o início deste “verdadeiro mutirão da visão” demorou mais do que era esperado devido a dificuldades de logística e operacionalização do programa, mas agora o processo irá ocorrer de forma rápida, sem burocracia. “A demanda é grande, mas a filosofia do governo municipal é cuidar das pessoas. O compromisso maior é com a saúde, então, o Hospital Regional irá acolher os pacientes. Tendo o encaminhamento em mãos, todos serão atendidos sem demora”, garantiu, agradecendo ainda toda a equipe médica que se dedica ao programa.

O médico Bruno Dias Rossi, confirmou que a equipe de oftalmologistas tem a missão de melhorar qualidade visual ao paciente, envolvendo desde cirurgias de catarata, pterígio, plástica ocular, revisão e possibilidade de grau, patologias da retina, entre outras, além de exames em geral. “Não é somente a consulta. Os pacientes receberão tratamento, cirurgia e acompanhamento. Nossa meta é nos tornar esse trabalho uma referência em acuidade visual”, ressalta o membro da equipe de profissionais contratados.

Citando a frase de um médico oftalmologista brasileiro, o prefeito Gilberto Garcia ressaltou a importância do programa: “Dedicar-se à preservação da nossa saúde ocular significa garantir o registro das melhores cenas das nossas vidas. Estou feliz com o alcance deste programa. É um Novo Olhar, uma nova chance para “ver” o que nossos olhos podem enxergar, de todas as maneiras”.