Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Novos equipamentos de hemodiálise serão utilizados exclusivamente em pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital.

Cb image default
João Cláudio 

Tecnologia de ponta a serviço do paciente renal: a Fundação Serviços de Saúde de Nova Andradina – Funsau-NA, mantenedora do Hospital Regional (HR) “Dr. Francisco Dantas Maniçoba” de Nova Andradina, terá à disposição duas máquinas específicas para o tratamento de pacientes com insuficiência renal aguda, além de insumos necessários à realização das diálises.

Únicos na região, os novos equipamentos serão utilizados exclusivamente em pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

Cb image default
João Cláudio

De acordo com o diretor geral do HR, Norberto Fabri trata-se de um avanço na terapia renal substitutiva. “O diferencial dessas máquinas é que elas realizam diálise contínua de até 72 horas e o tratamento da água para a realização da hemodiálise. Para pacientes agudos críticos é o tratamento ideal”, afirma.

Esse tipo de diálise permite a manutenção de pacientes com instabilidade hemodinâmica, ou seja, aqueles que estão em pior estado de saúde e internados na UTI. “Isso dará mais chance àqueles com infecções graves ou que foram submetidos a cirurgias e estão em recuperação, diminuindo a chance de evoluir para insuficiência renal crônica (quando a pessoa passa a necessitar de hemodiálise para o resto da vida) ”, complementa o diretor.

Para operar as novas máquinas, a direção da unidade hospitalar contratou uma equipe de nefrologistas. O responsável técnico pelo setor é o médico Antonio Pedro Lucas Bitencourt, que também coordena a unidade de hemodiálise do Hospital Casssems de Dourados. Também integram a equipe o médico Eduardo Fabri e a enfermeira Gabriela Gomes Rodrigues de Souza, ambos especialistas em nefrologia, e dois técnicos de enfermagem. 

Cb image default
João Cláudio

Todos os profissionais que atuarão neste serviço na instituição passaram por treinamento. O valor de custeio para a manutenção dos serviços é de R$ 40 mil mensais.

O prefeito Gilberto Garcia destacou o esforço da unidade em concretizar mais este serviço aos pacientes em estado grave. “Esses aparelhos salvam vidas, são imprescindíveis para aqueles que estão acamados num leito de UTI, precisando de tratamento renal de emergência”, frisou, lembrando que esse é apenas um dos investimentos realizados para melhorar o atendimento à saúde em Nova Andradina.

São sendo investidos R$ 7 milhões na ampliação da estrutura do complexo do Hospital Regional com a construção de uma UTI Neonatal, um Banco de Leite, Unidade de Cuidados Intermediários e um Centro de Diagnóstico por Imagem, que permitirá à população o acesso a exames de raio X, tomografia computadorizada e ultrassonografia.

Esses avanços, colocarão a cidade no padrão de saúde pública encontrado somente nos grandes centros urbanos. O maior volume de recursos já aplicados na área da saúde, com a participação das 3 esferas de governo: municipal, estadual e federal.

Cb image default
João Cláudio